Ovinocultura

Aumentar texto: a a a


GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DO SETOR DE OVINOCULTURA DO DZO/UFLA

  • Perí­odo de execução: De 1 de novembro de 2008 à 19 de abril de 2011.
  • Coordenador: Profa. Iraí­des Ferreira Furucho Garcia - iraides.ufla@gmail.com - (35) 3829-1693.

Devido à necessidade constante de manejo do rebanho (vermifugações, vacinações, banhos contra ectoparasitas, verificações das condições gerais, cobertura das fêmeas, apartação de diferentes categorias, etc.), e sendo estas operações independentes de um dia chuvoso ou não, torna-se necessário a cobertura desses currais.
A adaptação do antigo retiro de leite se faz necessário porque o Setor não dispõe de área de isolamento de animais doentes, como tem sido o caso recente de um surto de mamite. í‰ imprescindí­vel para o desenvolvimento do Setor uma área destinada para coleta de sêmen, inseminação artificial em fresco ou com sêmen congelado.
O grande tema na ovinocultura nacional é a produção de carne. O setor é praticamente o primeiro em desenvolver um trabalho de pesquisa nesta área, de forma organizada e com continuidade na área de qualidade da carcaça. Outro fator importante neste sentido é que o único centro de pesquisa que trabalha com raças nacionais e seus cruzamentos com raças especializadas em aspectos relacionados com crescimento e qualidade da carcaça e da carne ovina.

Objetivos

  • Melhorar a qualidade das pesquisas desenvolvidas pelo Setor de Ovinocultura da UFLA;
  • Desenvolver novas tecnologias na área de nutrição, reprodução e sanidade de ovinos e para o estado de Minas Gerais e Brasil;
  • Transformar o setor de ovinocultura em vitrine para aulas práticas, a fim de demonstrar o funcionamento de uma granja e preparar melhor os futuros profissionais que irão atuar na atividade;
  • Propiciar a nossos pesquisadores a oportunidade de desenvolver trabalhos de pesquisa atualizados e de alta qualidade;
  • Disponibilizar cursos, dias de campo e simpósios para que os produtores, técnicos e estudantes atualizem conhecimentos teóricos/práticos utilizando novas tecnologias no campo;
  • Promoção de palestras para difusão de tecnologias desenvolvidas;
  • Publicar os resultados gerados no setor de ovinocultura na forma de artigos cientí­ficos em revistas Qualis A.
Relação de alguns projetos em andamento

  • Influência da restrição alimentar e realimentação nos tipos de fibras musculares de cordeiros em diferentes faixas de pesos.
  • Digestibilidade in vivo da casca de café melosa tratada com cal virgem e desempenho de ovinos alimentados com diferentes ní­veis de inclusão desta na dieta.
  • Composição do colostro de ovelhas Santa Inês e Bergamácia e transferência de imunidade passiva aos cordeiros.
  • Desempenho, exigências nutricionais e qualidade da carcaça e da carne de cordeiros Santa Inês submetidos à restrição alimentar e ganho compensatório.
  • Avaliação das exigências nutricionais, produção, composição do leite e qualidade de produtos lácteos de três grupos genéticos ovinos.
  • Ionóforos no desempenho, digestibilidade e balanço de nitrogênio em ovinos.
  • Ionóforos na alimentação de cordeiros em crescimento e seus efeitos na qualidade de carcaça e da carne.
  • Interação entre energia e proteí­na sobre o desempenho, digestibilidade e parí¢metros fermentativos ruminais em ovinos da raça Santa Inês.
  • Teste de eficiência do produto: ivermectina 4% com liberação programada (Profa. Adriana de Souza Coutinho / DMV)
  • Utilização da homeopatia para testar parí¢metros do sêmen de carneiros (Prof. José Camisão de Souza / DZO).
  • Efeito da sobre-alimentação (flushing) com fontes de proteí­na de diferentes degradabilidades sobre a taxa de ovulação e fertilidade em ovelhas (Profa. Nadja Gomes Alves/ DZO).
  • Transferência da imunidade passiva e o efeito da amamentação controlada sobre o desempenho dos cordeiros e sobre o retorno à atividade ovariana cí­clica pós-parto das ovelhas (Profa. Nadja Gomes Alves/ DZO).
  • Concentração de ácidos fenólicos em silagens de quatro cultivares de milho (Zea mays L.) (Prof. Antí´nio Ricardo Evangelista / DZO).
  • Influência da restrição alimentar pré e pós-natal e do ganho compensatório sobre o crescimento, composição corporal e metabolismo energético e determinação de exigências corporais de cordeiros Santa Inês.
  • Avaliação das exigências nutricionais, produção, composição do leite e qualidade de produtos lácteos de três grupos genéticos ovinos.
  • Interação entre energia e proteí­na sobre o desempenho, digestibilidade e parí¢metros fermentativos ruminais em ovinos da raça Santa Inês.
  • Caracterí­sticas de crescimento e qualidade de carne de cordeiros Santa Inês e Bergamácia abatidos em diferentes pesos.
  • Ní­veis de FDN na dieta sobre o desenvolvimento do estí´mago e suas implicações produtivas em cordeiros Santa Inês.
  • Avaliação de aspectos reprodutivos e produtivos de ovinos Santa Inês, Ile de France e produtos do cruzamento entre essas raças em sistemas de produção de carne.
  • Exigência de energia e proteí­na para mantença e ganho de peso e a composição corporal dos 20 aos 36 kg de peso vivo em cordeiros da raça Santa Inês.
  • Efeito de diferentes ní­veis de inclusão de dejetos de suí­nos na ração sobre o desempenho e qualidade de carne de cordeiro da raça Santa Inês.
  • Exigências de macroelementos inorgí¢nicos (Ca, P, Na, K e Mg) e composição corporal de cordeiros em crescimento da raça Santa Inês.
  • Ní­veis de associação de soja com milho para ensilar: qualidade, valor nutritivo e custo de silagem.
  • Uso da amiréia (produto da extrusão amido-uréia) como suplemento protéico para vacas em lactação.
  • Exigências de energia e proteí­na para mantença e ganho de peso e composição corporal dos 15 a 45 kg de peso vivo em cordeiros da raça deslanada da raça Santa Inês.
  • Efeitos de diferentes proporções de soja na qualidade e valor nutritivo de capim elefante (Pennisetum purpureum schum).
  • Determinação da digestibilidade da proteí­na de vários alimentos no rúmen e digestibilidade intestinal.
  • Avaliação da silagem de capim elefante com resí­duo têxtil de algodão - resí­duo de lixeira- para ruminante.

Go to top
Departamento de Zootecnia
Universidade Federal de Lavras
TeleFax: 35.3829.1231
Caixa Postal 3037 | CEP 37200-000 | Lavras-MG
Email: dzo@dzo.ufla.br